Make your own free website on Tripod.com

Preservar a natureza é sinônimo de inteligência.
        Conserve o que demais nobre ou mais simples, possa existir em  nossa ecologia. 
        O equilíbrio e o bem estar de nosso planeta depende muito de nossa ajuda. Pense nisso!
                         Mensagem da Apiterapia Apiscure ( trabalhando sempre em beneficio da saúde, ano 2005).

Mantenha-se informado




  
   
O QUE É  PREVENÇÃO  CONTRA DISTURBIOS  HORMONAIS
Um distúrbio que interfere no processo normal de ovulação, em virtude de um desequilíbrio hormonal. A formação de cistos durante o processo de ovulação faz parte do funcionamento dos ovários. Mas eles desaparecem a cada ciclo menstrual. Em portadoras da Síndrome de Ovários Policísticos (SOP), esses cistos permanecem e modificam a estrutura ovariana, tornando o órgão até três vezes mais largo do que o tamanho normal, tomados por pequenos cistos superficiais. A disfunção pode levar à secreção de hormônios masculinos (androgênios) em excesso. A portadora da síndrome ovula com menor freqüência e tem ciclos, em geral, irregulares. Calcula-se que a SOP afeta 20% das mulheres durante o período reprodutivo.
O QUE CAUSA
Os fatores que levam ao desenvolvimento da SOP não são totalmente conhecidos mas tem origem genética, em parte, pois irmãs ou filhas de uma mulher portadora do distúrbio tem 50% de chance de desenvolvê-la. Tudo indica que sua origem está associada com a produção da insulina em excesso pelo organismo. O aumento da quantidade dessa substância no sangue (a hiperinsulinemia) provocaria o desequilíbrio hormonal.
PRINCIPAIS SINTOMAS E SINAIS
Ciclos irregulares, menor freqüência de ovulação e dificuldade para engravidar podem ser características comuns da síndrome dos ovários policísticos. O distúrbio ainda favorece o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, do diabetes do tipo 2 e obesidade. Quando há excesso de hormônios masculinos são são:
  • Crescimento anormal de pelos nas regiões do baixo ventre, seios, queixo e buço;
  • Aumento da oleosidade da pele e aparecimento de espinhas e cravos;
  • Queda de cabelos;
  • Aumento do peso;
  • Manchas na pele, principalmente nas axilas e atrás do pescoço                    
  • Dismenorréia é o termo usado pelos médicos para designar a cólica menstrual, um problema ginecológico que afeta metade das mulheres em idade fértil. A palavra, de origem grega, significa menstruação difícil Existem dois tipos de cólica menstrual: a dismenorréia primária e a secundária. Em 80% dos casos a cólica menstrual está associada à dismenorréia primária e se manifesta um a dois anos após a primeira menstruação (menarca).
    O QUE CAUSA A DISMENORRÉIA
    A dismenorréia primária é provocada por aumento da produção de substâncias chamadas prostaglandinas, pela camada que reveste o útero, denominada endométrio. A prostaglandina é uma substância hormonal produzida a partir do estímulo da progesterona, o hormônio que predomina na segunda fase do ciclo reprodutivo feminino, depois que ocorre a ovulação. O excesso de prostaglandinas durante o período menstrual provoca fortes contrações do útero, que é um músculo. Ao contrair-se o útero pressiona os vasos sanguíneos à sua volta, dificultando o suprimento de oxigênio aos tecidos e a dor é resultado da falta de oxigênio em partes do útero. O excesso de prostaglandina afeta outros órgãos e é por isso que a cólica menstrual é freqüentemente acompanhada de sintomas como dor de cabeça, dor nas costas, náusea e vômito, tontura e diarréia. Podendo ser controlada essas aparições hormonais fazendo uso constante do Apiscure líquido da primeira menstruação até a terceira por via oral devidamente assistida, afirma o dr. em apiterapia Tharsis. Essa insistência do uso continuo dos produtos é pelo motivo da homeopatia ser muito lenta para apresentar efeitos, por isso a prevenção antes do sintomas se manifestarem o médico da família deve ser consultado.   
    Além da dor, que pode ser intensa, também podem ocorrer os seguintes desconfortos:
    • náusea
    • diarréia
    • vômito
    • dor na região lombar e do sacro, com irradiação para as coxas
    • fadiga
    • nervosismo
    • tontura
    • dor de cabeça (cefaléia)
    • desmaio ou síncope (esta ocorrência, em particular, é bem rara)



    A  APITERAPIA  APISCURE  Alerta sempre  a você leitor  para o  tratamento
    com os seus produtos  homeopáticos "APIFITOTERAPICOS".                 
    Ao fazer uso desses produtos como  preventivo, use corretamente  usando bem o resultado vem e vem  em  beneficio deste distúrbio  hormonal , informe-se   via
    e-mail
    apiterapiaapiscure@bol.com.br  ou  pelo fone-fax:0xx11 3781 4559.   



                                                                                                    

    e-mail


                         

                                                                                                         
      voltar